Crianças e adolescentes podem realizar treino de força?

A prática regular de atividades físicas proporciona diversos benefícios à saúde e constitui uma forma efetiva de prevenção de doenças. Em relação às crianças, os exercícios também desempenham papel fundamental para uma boa condição física, psicológica e mental. Conforme Alves (2008), a prática de atividades físicas pode aumentar a autoestima, a aceitação social e promover uma sensação de bem-estar geral entre as crianças.

O grande problema é a falta de informação. Esporte é extremamente saudável e seguro para crianças e adolescentes, o que não podemos admitir são os exageros. Quando falamos em exageros, estamos falando em tratá-los como atletas adultos, sem respeitar o volume e a intensidade de treinamento adequados a sua idade. Esse deve ser nosso grande cuidado.

Em primeiro lugar é importante reconhecer que crianças e adolescentes estão em fase de crescimento, de modo que a carga de treinamento e a execução dos exercícios precisam ser devidamente ajustadas para não lesionar o disco epifisário. Lesões fisárias podem ocorrer em qualquer criança durante a atividade física, são lesões na placa de crescimento do osso que podem ocasionar seu fechamento precoce e provocar deformidades nos membros no decorrer do crescimento. Em segundo lugar, crianças e, principalmente, adolescentes tendem a buscar um físico de certa forma idealizado quando iniciam um programa de musculação. Devemos ter em mente, no entanto, que jovens que buscam o “corpo perfeito” nessa fase não apresentam um ambiente interno favorável ao ganho de massa magra e sim ao ganho de força pelo treinamento, por meio de adaptações neurais (coordenação, treino proprioceptivo, entre outros). Por conta disso, muitos lançam mão de substâncias ilícitas para alcançar seus objetivos. Além de todos os malefícios provocados à saúde do atleta jovem, há evidências científicas de que o uso dessas substâncias ocasiona fechamento precoce dos discos epifisários, afetando o crescimento de modo geral.

Em vários estudos científicos, como em Barbieri D. Zaccagni (2013), conclui-se que o treinamento de força e exercícios de força não são contraindicados para pré-púberes e púberes, ao contrário, as atividades físicas estabelecem uma correlação positiva com o desenvolvimento maturacional e o ganho de força dos jovens, além de outros benefícios:

• Promoção de crescimento físico.
• Estímulo do desenvolvimento motor.
• Melhora da atividade cardiovascular.
• Melhora do perfil lipídico.
• Incremento de massa óssea.
• Aumento de força muscular.

Portanto tenham sempre em mente que o grande problema deste tema é a falta de informação.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *