Dieta low-carb: emagrecimento e mais saúde

Uma das dietas da moda, a low-carb não é tão nova assim. Um estudo randomizado de uma dieta pobre em carboidratos publicado na Obesity New England Journal of Medicine, em 2003, mostrou que a low-carb é utilizada desde o século XIX para auxiliar no tratamento de doenças associadas ao sobrepeso. Mas, afinal, como se caracteriza esse tipo de dieta? É só reduzir os carboidratos até tirá-los completamente da sua vida? Não! A low-carb consiste em consumir menos de 30% de calorias vindas dos carboidratos (esse percentual pode variar de acordo com o estudo), ingerir alto valor de proteína e de moderado a alto teor de gordura.

A pergunta que não quer calar é: quanto carboidrato devo comer e de quais fontes? O “low” que dizer baixo – nesse tipo de dieta não importa o índice glicêmico – e é possível consumir entre 50 -150 g/dia. Essa conduta apresenta resultados satisfatórios, não só para o emagrecimento, mas também na resposta a algumas doenças crônicas, como o diabetes. As gorduras são a principal fonte de energia na dieta low-carb e, quando falo gordura, entenda que quanto menos processada, melhor. Você pode consumir carnes, abacate, coco, nozes, azeitonas, manteiga, nata e até queijos amarelos. Assim, você pode ficar tranquilo, que não vai sofrer um ataque cardíaco devido ao consumo de gorduras, pois essas são chamadas de gorduras boas.

Benefícios para além do emagrecimento

Para compreender os benefícios, é preciso antes entender como a dieta funciona. Ao restringir o consumo de carboidratos, a insulina – hormônio que regula os níveis de açúcar no sangue e armazena gordura – também é reduzida, inibindo a lipólise (queima de gordura). Com a diminuição da glicose (açúcar), o corpo precisa achar outra fonte de energia, usando assim as reservas de gordura do organismo.

Um estudo publicado na New England Journal of Medicine, com duração de seis meses, analisou um grupo de 132 indivíduos com obesidade grave e outros problemas de saúde, como síndrome metabólica e diabetes tipo II. Foi feita a comparação entre uma dieta com baixo teor de carboidratos e uma dieta com baixo teor de gordura.
O resultado apontou que os seguidores da dieta low-carb perderam, em média, 5,8 kg enquanto o grupo do baixo teor de gordura perdeu apenas 1,9 kg. Mas não foi só isso, além de perder quase três vezes mais peso, a diferença foi significativa também em outros aspectos, como a diminuição dos triglicérides, a melhora da sensibilidade à insulina e até dos níveis de glicose no sangue em jejum: que desceram 26 mg/Dl no grupo low-carb contra apenas 5 mg/dL no grupo low-fat (dieta com restrição de gorduras), a dieta ainda fez aumentar o HDL, o bom colesterol. Ou seja, ser adepto ao estilo de vida low-carb pode fornecer muitos outros benefícios além da perda de peso. A dieta não é para todos, mas a maioria pode seguir. Converse com um profissional para orientação e adequação à sua rotina.

Receita low-carb

Que tal uma massa de pizza low-carb para não sair da dieta? Basta misturar 1,2 kg de couve-flor crua triturada com 200 g de queijo parmesão ralado, pronto! Coloque no forno por 30 min em forma untada com manteiga ou azeite. Você ainda pode acrescentar frango desfiado, requeijão e mozarela. Bon appétit!

Referências
Foster GD, et ai. Um estudo randomizado de uma dieta pobre em carboidratos publicado na obesity New England Journal of Medicine, de 2003. – estudo disponível em: http://ajcn.nutrition.org/content/early/2010/01/13/ajcn.2009.27725.abstract.
Samaha FF, et al. Uma dieta com baixo teor de carboidratos em comparação com uma dieta de baixo teor de gordura na obesidade grave. New England Journal of Medicine, de 2003. – estudo disponível em: http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa022637 .

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *