Afinal, o que causa a fadiga muscular no exercício?

A busca pelos mecanismos causadores de fadiga no exercício sempre foi de interesse dos cientistas. Basta uma revisão na literatura científica para descobrirmos que diversos são os fatores que levam o indivíduo a cessar ou diminuir a intensidade do exercício. Lembrando que, quando falamos de fadiga, estamos falando da incapacidade do organismo de manter uma determinada intensidade de exercício físico.

Para compreendermos melhor a fadiga, vamos primeiramente voltar aos primórdios da pesquisa sobre o tema. Não podemos deixar passar os anos de 1922, em que o fisiologista Archibald Vivian Hill e seus companheiros foram agraciados com o prêmio Nobel de fisiologia, em 1924, em que publicou um trabalho revolucionário demonstrando o aparecimento de um metabólito chamado ácido lático e sua relação com a fadiga durante o exercício. Nele, Hill e colaboradores afirmavam que o exercício físico era interrompido à medida em que o músculo acumulava ácido lático, sendo este, então, a causa da fadiga muscular.

Exatamente por isso, até os dias de hoje, prega-se que o aumento da intensidade do exercício físico provoca acúmulo de ácido lático e, consequentemente, diminuição da intensidade ou mesmo interrupção do exercício.

Após esse, diversos outros estudos muito conceituados demonstraram que o ácido lático pode não ser a causa da fadiga durante o exercício e que, provavelmente, nem ocorra a formação desse ácido em nosso sistema fisiológico.

Para desvendar essa história, em breve vamos entender se realmente existe ácido lático e descobrir como utilizar os suplementos certos a nosso favor para reduzir a fadiga provocada pelo exercício físico, intensificando, assim, os treinos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *