O uso terapêutico do whey protein

É consenso atual que a ingestão correta de proteínas dietéticas, conforme o tipo e quantidade, possuem efeitos positivos para a nossa saúde, melhorando a composição corporal, atenuando a perda de massa muscular, além de efeitos na saciedade e controle de glicose plasmática.

De forma individualizada, o total diário proteico é calculado, sendo que para uma pessoa eutrófica/sedentária a ingestão gira em torno de 0,8-1,2g/kg/dia, enquanto um atleta tem necessidades que variam de 1,5-2,5g/kg/dia (1).

Dentre os tipos de fontes proteicas, o whey protein possui algumas propriedades de saúde, relacionadas aos diferentes componentes bioativos naturalmente presentes na proteína.

A tabela abaixo contem os principais bioativos e suas propriedades:

OBESIDADE
O whey protein pode ser incluída dentro de uma dieta hipocalórica para auxiliar na manutenção de massa muscular, além de ter efeitos positivos sobre a saciedade na estimulação do Glucagon Like Peptide (GLP-1) (peptídeo anorexígeno = reduz a fome no sistema nervoso central) (2)

DIABETES
Trabalhos suplementando o whey protein em pacientes portadores do diabetes mellitus demonstram melhora na sensibilidade a insulina e melhor controle glicêmico e da fome (2).

HIPERTENSÃO
Sabe-se que a composição da dieta pode interferir na pressão arterial. A suplementação de whey protein tem impacto positivo no controle da pressão arterial, pois a presença da alfa lactoalbumina e beta lactoglobulina são precursores de peptídeos que inibem o sistema de conversão de angiotensina, que controla a pressão arterial (2).

CONTROLE FOME SACIEDADE
O intestino possui a capacidade de interferir no sistema de fome e saciedade no sistema nervoso central (SNC), a partir da secreção local de peptídeos anorexígenos como a Colecistoquinina (CCK) e o GLP-1. O uso da suplementação de whey protein interfere positivamente neste peptídeos, reduzindo a fome central, via diminuição da produção de um peptídeo chamado Neuro peptídeo Y, responsável por estimular a fome no SNC (2).

Desta forma, é extramente importante a prescrição do nutricionista, para adequar a oferta proteica correta, de forma qualitativa e quantitativa, para direcionar a suplementação de whey protein para o benefício da saúde.

Referencias:

Kreider et al. Journal of the International Society of Sports Nutrition 2010, 7:7
Sousa et al. Lipids in Health and Disease 2012, 11:67

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *